ANO NOVO E NOVA VIDA

“E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas” (II Co 5.17) 

2012 chegou. Com o advento do novo ano paira sobre os corações uma nuvem de desconfiança, uma sombra de medo frente às profecias maias e o fim do mundo. Bom, se no ano 2.000 muitos ficaram aliviados pelo não cumprimento da profecia “bíblica” “de Mil passará, mas a Dois mil não chegará” (obviamente isto não está na Bíblia), não será diferente em 2012. No dia 23/12/2012 estaremos ainda aqui. O Evangelho de Marcos é bem claro: “Mas a respeito daquele dia ou da hora ninguém sabe; nem os anjos no céu, nem o Filho, senão o Pai” (Mc 13.32). 


LEIA O JORNAL DO DIA EM QUE VOCÊ NASCEU


Acessando o blog Recha Ferida me deparei com um post muito interessante e curioso: será que você sabe quais eram as notícias do Jornal do Brasil no dia em que você nasceu? Fiquei curioso e acessei.... Achei legal e estou compartilhando. Antes da leitura duas dicas:

UMA OPINIÃO SOBRE A ÁRVORE DE NATAL


Por um lado, muitos defendem que a árvore de Natal ou o pinheiro enfeitado desempenha um papel importante na data comemorativa do nascimento de Jesus. Citam os cristãos da antiga Europa que ornamentavam suas casas com pinheiros no dia no Natal, a única árvore que nas imensidões da neve permanecem verde.

SOU O VENCEDOR DO CONCURSO CULTURAL "PERGUNTE AO DR. CHAMPLIN"

Caros leitores e colegas blogueiros, acabei de receber a notícia que sou o vencedor do concurso cultural "Pergunte ao Dr. Champlin". Receberei como prêmio a Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia já com o novo projeto gráfico.

Mais de 400 frases foram enviadas ao Concurso. Participei com três perguntas; a vencedora foi a seguinte:

"Eis minha pergunta ao Dr. Champlin: após a surpreendente elaboração de uma enciclopédia com mais de oito mil artigos sobre a Bíblia e outros mais de oito mil artigos nas áreas restantes (teologia e filosofia), considerando que o coração do sábio adquire o conhecimento e seu ouvido procura o saber (Pv. 18.15), que dúvida bíblica, teológica ou filosófica ainda insiste em incomodar suas reflexões existenciais à espera de uma solução?"

Aproveito para agradecer a Editora Hagnos pela oportunidade e grande presente.

Farei um ótimo proveito!



200 MIL VISUALIZAÇÕES DO BLOG E UMA SURPRESA PARA OS LEITORES


Em comemoração pelas duzentas mil visualizações desde que criei o blog, insiro abaixo os links de todos os posts até aqui publicados. Eis uma oportunidade de ler, reler e continuar colaborando com o Blog Regulae Fidei. Obrigado a todos!

AS 95 TESES DE LUTERO


Em 31 de Outubro de 1517, Martinho Lutero afixou na porta da capela de Wittemberg 95 teses que gostaria de discutir com os teólogos católicos, as quais versavam principalmente sobre penitência, indulgências e a salvação pela fé. O evento marca o início da Reforma Protestante, de onde posteriormente veio a Igreja Presbiteriana, e representa um marco e um ponto de partida para a recuperação das sãs doutrinas.

------------------------------------------------------------

Movido pelo amor e pelo empenho em prol do esclarecimento da verdade discutir-se-á em Wittemberg, sob a presidência do Rev. padre Martinho Lutero, o que segue. Aqueles que não puderem estar presentes para tratarem o assunto verbalmente conosco, o poderão fazer por escrito. Em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

POESIA "DIA FELIZ, DIA DA REFORMA PROTESTANTE"



No dia 31/10 os cristãos protestantes não devem promover o Halloween. Pelo contrário, precisam rememorar o Dia da Reforma Protestante, um movimento iniciado por Martinho Lutero (sem desabonar os pré-reformadores) no início do século XVI. Foi neste dia, no ano de 1517, que o sacerdote agostiniano afixou suas 95 teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg protestando contra diversos pontos da doutrina romana, propondo uma reforma no catolicismo.

Já publicada em muitos periódico, em 2008 fiz a poesia abaixo para relembrar a importante data da Reforma Protestante. Leia. Espero que goste. Louvado seja o Nome do Senhor.

COMO FOI MINHA INFÂNCIA?


Hoje parei alguns instantes para meditar sobre minha infância (ainda sinto o gosto do bolo na foto acima). Mais uma vez pude relembrar de muitos momentos, programas, doces, brinquedos, músicas e questões muito próprias de meu tempo, as gloriosa décadas de 80 e 90. Permita-me compartilhar algumas delas:

SENADO HOMENAGEARÁ IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL PELOS SEUS 150 ANOS


O Senado celebra na próxima segunda-feira (19), em Plenário, os 150 anos de aniversário da Igreja Presbiteriana do Brasil, estabelecida no centro do Rio de Janeiro, ao tempo em que o Catolicismo ainda era a religião oficial do país. Em janeiro de 1862, o segundo andar de um prédio na Rua Nova do Ouvidor, 31, foi o local em que o missionário Ashbel Green Simonton (1833-1867) recebeu a confissão de fé de duas pessoas e declarou organizada a Primeira Igreja Presbiteriana do Brasil.


BANDA RESGATE EM CUPARAQUE

Era 1997 quando Deus já ministrava ao meu coração pelas músicas da Banda Resgate. Preciso dizer que o show em Cuparaque foi dez! Parabéns Ministério Ainew! Parabéns Rayanne, querida filha e discípula. Parabéns a todos que organizaram este evento, até hoje, único em nossa região.



O MINISTÉRIO DOS ANJOS ELEITOS


“Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos” (Sl 91.11).

Uma vez que se compreende a natureza dos anjos e como estas criaturas se organizam na realização dos propósitos divinos, é preciso compreender o ministério dos anjos. Destacarei a seguir o serviço prestado pelos anjos chamados bons, ou eleitos, de acordo com a Palavra de Deus. Creio que ao verificar o ministério dos anjos poderemos distinguir entre um serviço ordinário e outro extraordinário. Contudo, aqui veremos os destaques bíblicos que norteiam o ministério geral dos anjos eleitos. 

A Escritura dá a impressão de que os anjos adoram a Deus, conquanto não possamos fazer idéia de como os anjos falam e cantam. Algumas expressões lançam luz sobre esta idéia. Em Jó 38.7, por exemplo, as expressões em destaque são alegremente cantavam e rejubilavam. A primeira aponta para um grito retumbante (ranan, heb.). A segunda para tocar sinal de trombeta (ruwa’, heb.). Jó 38.6 reforça a adoração audível dos anjos. “O lançamento dos alicerces e a colocação da édra de esquina eram momentos para celebração com música e alegria” (F. F. Bruce). Compare os textos acima com Ed 3.10-1 e Zc 4.7. 

Creio que a Palavra de Deus também esclarece o serviço dos anjos em relação à Igreja. Eles são espíritos ministradores (Hb 1.14). Esta expressão (leitourgikos, gr.) se relaciona com a realização de um serviço sagrado. É por isso que também são chamados ministros (Sl 103.21; Sl 104.4). Eles estão presentes na vida da Igreja, pois, afinal de contas, eles guardam e livram o povo de Deus (Sl 91.11; Sl 34.7). O sentido de guadar (shamar, heb.) é manter vigilância com objetivo de proteger. O conceito de livrar (halats, heb.) é resgatar. Portanto, os anjos nos vigiam, protegem e resgatam conforme a vontade soberana de Deus, como no caso de Eliseu (II Re 6.16-17) e Daniel (Dn 6.22), permanecendo acampados (hanah, heb., por cerco) ao redor dos homens de Deus. 

Os anjos eleitos são mensageiros com propósitos bem definidos por Deus. Eles anuciaram o desígnio do Eterno (Lc 1.19), suas advertências (Mt 2.13), instruções (At 10.3-6), encorajamento (At 27.23-25) e revelações (Dn 9.21-23). Não há razão para excluí-los de nossa vida, pois o próprio Deus os coloca como protetores de seus povo. 

Em suma, deve-se entender que os anjos “são seres espirituais criados com juízo moral e alta inteligência, mas sem corpos físicos” (Wayne Grudem). Devemos lembrar que os anjos adoram, mas não devem ser adorados; os anjos servem, mas não devem ser servidos (Stanley Horton); “não devemos esperar neles, nem invocar seu auxílio” (Charles Hodge). 

Rev. Ângelo Vieira da Silva 

PARABÉNS, IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL!


Dia 12/08 é uma data festiva para todos os presbiterianos do Brasil. Com a chegada do missionário Ashbel Green Simonton nascia uma história que completa 152 anos, a história da Igreja Presbiteriana do Brasil. Abaixo adapto um texto do historiador da IPB, o Rev. Alderi Souza de Matos. Leia e conheça a história desta amada Igreja.

URGENTE: PROCURA-SE UM PASTOR!


Era uma vez uma igreja tão enjoada, mas tão enjoada que, mesmo precisando desesperadamente de um novo pastor, ninguém conseguia preencher seus "requisitos". Então, alguém da Comissão de Sucessão Pastoral teve uma idéia brilhante: "Vamos colocar um anúncio numa revista especializada". Não era uma iniciativa muito ortodoxa, mas todos acabaram concordando. Apareceram vários candidatos. Este foi o relatório final do Relator da Comissão:

1ª IPB DE RESPLENDOR, PARABÉNS!


Neste fim de semana comemoramos 89 anos de organização de nossa amada igreja. O povo de Deus deve regozijar. Não foram poucos homens e mulheres que Deus salvou em nossa amada região através desta igreja. 

A ORGANIZAÇÃO ANGELICAL


Os anjos existem e servem a Deus continuamente. A compreensão bíblica deste tema é essencial diante de tantos enganos como os conceitos de “anjos cabalísticos” (conexão de anjos com signos) ou “anjos da guarda” (como protetores de criancinhas), por exemplo. Porém, você saberia dizer quantos anjos existem?

Ainda que a Bíblia não contenha nenhuma informação definida sobre o número dos anjos (Hb 12.22), nos dá algumas indicações. Moisés destacou a expressão miríades (multidão ou dez mil) para os anjos. O salmista indicava milhares (Sl 68.17), assim como Elias pôde ver (II Re 6.17). A Palavra de Deus designa a existência de exércitos ou milícias celestiais (Sl 103.20-21; Lc 2.13). Jesus confrontou uma legião de anjos reprovados (Mc 5.9, 15) e declarou que poderia ser auxiliado por mais de doze legiões, se precisasse (Mt 26.53). Finalmente, a revelação dada a João aponta a existência de milhões e milhões, milhares e milhares de seres angelicais (Ap 5.11).

É natural verificar pelas Escrituras que os “incontáveis” anjos criados por Deus são seres organizados. Eles precisam estar organizados de algum modo para serem os espíritos ministradores que as Escrituras descrevem (Hb 1.14). Assim, é importante entender que a Bíblia emprega certos nomes específicos para indicar diferentes classes de anjos.

Mesmo com poucas informações, a leitura da Palavra de Deus nos guiará a classe dos Querubins, que guardaram a entrada do paraíso (Gn 3.24) e observavam o propiciatório (Ex 25.18, 20; Hb 9.5). A visão do profeta Isaías revelou outra classe, a dos Serafins, que são representados simbolicamente: figura em forma humana, mas com seis asas, duas cobrindo o rosto, duas os pés, e duas para a pronta execução das ordens do Senhor (voava). Eles serviam em torno do Trono do Rei. Os apóstolos Paulo e Pedro apresentam nomes de poderes cósmicos pelo Novo Testamento sem, contudo, discutirem os pormenores. Somente interessa o fato que todos estão subordiandos a Cristo. Descrevem os Principados (Rm 8.38), as Potestades (I Co 15.24; Ef 3.10; Cl 2.10; Cl 2.15), Tronos (Cl 1.16), Domínios ou Soberanias (Ef 1.21; Cl 1.16) e Poderes (I Pe 3.22; Ef 1.21).

Além destes, dois anjos eleitos tem lugar especial nas revelações bíblicas. O primeiro é Gabriel que parece ter a função principal de servir como intermediário e intérprete de revelações divinas. Afinal, trouxe a Daniel a noticia do futuro de Israel, avisou Zacarias do nascimento de João Batista, declarou ao mundo a notícia do nascimento de Jesus Cristo, progressivamente. O segundo é Miguel, o único ser angelical descrito como Arcanjo (chefe dos anjos) na Bíblia. No livro do Profeta Daniel é retratado como Príncipe e ajundou o mensageiro celestial na luta espiritual contra as trevas (Dn 10.12, 21; Dn 12.1). No Novo Testamento Miguel é o anjo que contende com o Diabo acerca do corpo de Moisés (Jd 9) e quem o expulsa do céu, lugar onde não poderia mais acusar os cristãos. É maravilhoso destacar que o Arcanjo Miguel, o guardião de Israel, surge em Ap 12.7-9 como defensor da igreja; ninguém poderá condená-la (Rm 8.33). Aleluia.

Rev. Ângelo Vieira da Silva











A IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL E A PL 122/2006, A CHAMADA LEI DA HOMOFOBIA


Quanto à chamada LEI DA HOMOFOBIA, que parte do princípio que toda manifestação contrária ao homossexualidade é homofóbica, e caracteriza como crime essas manifestações, a Igreja Presbiteriana do Brasil repudia a caracterização da expressão do ensino bíblico sobre o homossexualidade como sendo homofobia, ao mesmo tempo em que repudia qualquer forma de violência contra o ser humano criado à imagem de Deus, o que inclui homossexuais e quaisquer outros cidadãos.

Visto que:



A NATUREZA DOS ANJOS


A Bíblia ressalta que o anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem e os livra (Sl 34.7). Em contrapartida, alguns líderes promovem em suas Igrejas a Campanha de Troca do anjo da Guarda. Daí, fica a pergunta: o que fazer?

Não sei o que é pior: trocar de anjo ou ensinar que os homens têm anjo da guarda. Independentemente deste besteirol, devemos nos despertar para a compreensão bíblica acerca dos anjos, os mensageiros de Deus. Como Martinho Lutero afirmou, anjos são criaturas espirituais sem corpos, criadas por Deus para o serviço da cristandade e da igreja. 

Biblicamente os anjos são seres criados (Sl 148.2, 5). Como criaturas não devem ser adorados. Eles são seres espirituais, incorpóreos (Mt 8.16; Ef 6.12; Lc 24.39), racionais, morais e imortais (Ef 3.10; Mt 24.36; Mc 8.38; Jo 8.44; Lc 20.35-36). Por seres racionais quer se dizer que os anjos são dotados de inteligência e de vontade. Por seres imortais que eles são perpétuos, mas não eternos. Por seres morais que os anjos estão sob obrigação moral, isto é, são recompensados pela obediência, e punidos pela desobediência. 

É claro que há anjos bons e anjos maus, mas nem sempre foi assim. Jd 6 revela um estado original para os anjos e II Pe 2.4 descreve a sentença para anjos que pecaram.

Paulo ressalta em Cl 1.16 que os anjos são invisíveis: “pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele”. 

Não se esqueça: “E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz” (2 Co 11.14). 

A realidade dos anjos aponta para a realidade do mundo espiritual, sem dúvida. Contrariando os saduceus (At 23.8), “os anjos são prova de que o mundo invisível é real (GRUDEM)”. Segundo Stanley M. Horton, o estudo dos anjos é parte vital da teologia tendo valor tangencial e implicações para outros ensinamentos da Bíblia, como os tempos do fim, uma vez que os anjos estão incluídos nos eventos da primeira e segunda vindas.

Pense nisto antes de trocar seu "anjo da guarda"!

Rev. Ângelo Vieira da Silva

O VERDADEIRO SENTIDO DA PÁSCOA

Não há como negar: a educação cristã quanto ao verdadeiro sentido da Páscoa é vedada, se não contestada, se não omitida. Não podemos esquecer que a Páscoa, a principal festa do judaísmo em comemoração à libertação dos israelitas da escravidão do Egito pelo mar Vermelho há mais de 3.200 anos através de Moisés (Ex 12.1-28; Lv 23.5-8, Nm 9.1-14), no Pacto da Graça celebra unicamente a ressurreição de Jesus Cristo no dia do Senhor, no domingo (Lc 24.1; At 20.7; I Co 16.2 e Ap 1.10). Na Páscoa de Cristo a lembrança viva precisa ser o sacrifício de Jesus na cruz que nos liberta da escravidão do pecado. Nosso Senhor suficientemente se ofereceu como Cordeiro de Deus para tirar o pecado do mundo, vencer a morte e ressuscitar ao terceiro dia. 

MEDITAÇÕES NO BREVE CATECISMO - PERGUNTA 02


PERGUNTA 02: Que regra deu Deus para nos dirigir na maneira de o glorificar e gozar?

RESPOSTA: A Palavra de Deus, que se acha nas Escrituras do Velho e do Novo Testamentos, é a única regra para nos dirigir na maneira de o glorificar e gozar. 


É difícil conceber uma sociedade sem limites. Não há dúvida que a ausência da lei desenfrearia a mente humana nas piores direções, materializando suas depravações mais horrendas. Sem um referencial ético a sociedade facilmente se corromperia. Não é tão diferente na Igreja de Cristo. Eis a questão normativa.

OUVIU-SE UM CLAMOR NO RIO, PRANTO, CHORO E GRANDE LAMENTO

Na última quinta-feira (07/04) mais uma tragédia abalou a nação: um homem de vinte e três anos adentrou uma escola na zona oeste do Rio de Janeiro e disparou sua arma contra várias crianças e adolescentes da escola. Dentre os quatrocentos alunos, treze ficaram feridos e doze faleceram. 

Esse triste episódio trouxe-me a memória o texto bíblico de Mt 2.18: “Ouviu-se um clamor em Ramá, pranto, choro e grande lamento; era Raquel chorando por seus filhos e inconsolável porque não mais existem”. As palavras citadas vieram como o cumprimento da profecia do profeta Jeremias. Vendo-se iludido pelos magos, a Bíblia narra que Herodes enfureceu-se grandemente, decidindo mandar matar todos os meninos de Belém e de todos os seus arredores, de dois anos para baixo, com o intuito de aniquilar o recém-nascido Rei dos Judeus. 

TRÊS PERGUNTAS ACERCA DAS OFERTAS VOLUNTÁRIAS


1. O que são as ofertas?

Em sentido etimológico poderíamos definir a palavra “ofertar” como “oferecer voluntariamente”. As ofertas são associadas a ajuntamento solene na Bíblia (Is 1.13). Lembre-se: as ofertas não são o dízimo. Há distinção clara. Em Deuteronômio 12.17 afirma-se: “Nas tuas cidades, não poderás comer o dízimo do teu cereal, nem do teu vinho, nem do teu azeite, nem os primogênitos das tuas vacas, nem das tuas ovelhas, nem nenhuma das tuas ofertas votivas, que houveres prometido, nem as tuas ofertas voluntárias, nem as ofertas das tuas mãos”. Saiba que não devemos ofertar o que sobra, mas sim o tudo que Deus colocar em nosso coração (II Co 9.7). Marcos 12.44 afirma: “Porque todos eles ofertaram do que lhes sobrava; ela, porém, da sua pobreza deu tudo quanto possuía, todo o seu sustento”. Esta é a diferença básica sobre o que é e o que não é ofertar. Êxodo 30.15 e 35.22 ensinam que tanto ricos como pobres, tanto homens como mulheres, devem dar ofertas para o Senhor.

UMA ORAÇÃO URGENTE: LIVRA-ME!

“Livra-me”, esta é uma expressão presente em muitos trechos das Escrituras Sagradas. Todavia, por que tantas vezes é repetida? Será que realmente somos livres para fazer o que quisermos? Até onde estamos livres? Será que não precisamos de libertação em nossas vidas? Será que algo nos prende?

Certamente que sim. Muitas vezes nossa liberdade é ilusória, pois na realidade estamos escravizados à circunstâncias onde apenas o Filho de Deus pode acudir e libertar. Jesus mesmo disse em Jo 8.36: “se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. Jesus quer trazer alívio a sua alma, meu irmão (a); quer livrá-lo do mal, como enfatiza a oração que ele mesmo ensinou (Mt 6.13). Diga, ore bem alto para o Senhor: Livra-me! 

MEDITAÇÕES NO BREVE CATECISMO - PERGUNTA 01



PERGUNTA 1. Qual é o fim principal do homem? 

RESPOSTA. O fim principal do homem é glorificar a Deus, e gozá-lo para sempre. 

A existência do homem não é por acaso; tem propósito. A sabedoria corrobora. Se há tempo para tudo, até para a manifestação do propósito há (Ec 8.6). Definitivamente, o fim principal do homem tem a ver com seu Criador e o propósito da adoração da qual Ele é digno.

Medito:

DOIS DIAS MUITO ESPECIAIS: 1º CULTO PROTESTANTE NO BRASIL E DIA DA EDUCAÇÃO CRISTÃ

Dois dias muito especiais...

No dia 10/03 comemorou-se o 1º Culto Protestante no Brasil e em 11/03 o Dia da Educação Cristã. Ambas as datas são muito especiais em virtude dos acontecimentos que a marcaram, bem como sua aplicabilidade às nossas vidas. Veja: