Blog de Ângelo Vieira da Silva, Marido da Keila, pai do Rafael. Cristão Calvinista, Pastor Presbiteriano. Pesquisador dedicado. Cruzeirense e Gamer de clássicos.

URGENTE: PRECISA-SE DE JESUS!


“Também sabemos que o Filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (I Jo 5.20)

Uma doutrina filosófica nos primeiros séculos da cristandade, o gnosticismo, arrebatava cristãos nas igrejas afirmando (além de outros sofismas) que a encarnação do Verbo, de Jesus, era impossível, porque a matéria era má. A leitura atenta do Evangelho e Cartas joaninas comprova a postura apologética frente a este mal. O Espírito Santo inspirou cada uma destas letras que armaram a defesa do povo de Deus naqueles dias. 

Não se assuste, mas não é tão diferente hoje. Com novas roupagens, estilos e dogmas muitas pessoas e/ou religiões “buscam” ou reconhecem um simples judeu, um profeta, um avatar, um fantasma, um anjo, o irmão de Lúcifer, a primeira criação de Deus, o Oxalá novo ou, até mesmo, um simples homem. Todos estes podem ser o “Jesus” de alguém, uma reprodução temporal falsídica da Verdade Eterna Imutável. 

Ora, se os discípulos amados de Jesus propuseram pastorear os cristãos contra as investidas filosóficas contra a verdade da encarnação do Verbo de Deus, precisamos da mesta atitude urgentemente. Necessitamos de Jesus como Ele é. São tantas caricaturas do “Cristo”, que muitos irmãos e irmãs se enveredam por caminhos tortuosos. O Espírito que habita na Igreja se instrumenta de Sua Palavra para esclarecer: 

1. SOBRE JESUS E SEU RETORNO: o texto registra: “Também sabemos que o Filho de Deus é vindo...”. Esta frase demonstra convicção. Certo que o mundo jaz no maligno (I Jo 5.19), João reconhece que o retorno de nosso Senhor é certo, é vindo. Jesus foi enviado: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (Jo 17.3). Agora, resta retornar. “Quem ama a vinda do Senhor não é aquele que afirma que ela ainda está distante nem aquele que diz que está perto. É aquele que, esteja distante ou próxima, aguarda-a com fé sincera, esperança firme e amor fervoroso” (Agostinho de Hipona). 

2. SOBRE JESUS E RECONHECIMENTO: o discípulo amado escreve: “...e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro...”. Esta frase denota urgência. Como o tempo é findo e vivemos os últimos dias, reconhecer Jesus como nosso Senhor e Salvador, como nosso Deus, é imprescindível. Este reconhcimento é impostergável. “Nunca nos esqueçamos de que a mensagem da Bíblia dirige-se em especial à mente, ao entendimento” (D. Martyn Lloyd-Jones). O entendimento é este: discernir (dianoia) quem é Jesus. “Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido” (I Jo 5.1). 

3. SOBRE JESUS E SUA GRAÇA: “A felicidade não está apenas dentro de nós nem fora de nós, mas sim em nossa união com Deus”, afirmou o teólogo e físico francês Blaise Pascal. Estar unido a Cristo é prova do favor divino: “...e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo”. Esta última expressão bíblica comunica graça. Estar, permanecer no Filho de Deus, é estar ligado à Videira Verdadeira, é ser guardado nas mãos fiéis do Pai. Nada poderá nos separar. “Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim” (Jo 15.4). 

4. SOBRE JESUS E UMA CONFISSÃO: João conclui: “...Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna”. Esta frase é uma confissão. O discípulo amado declara sua fé inalterável ao afirmar que Jesus é verdadeiramente Deus e verdadeiramente a Vida eterna. Eis um testemunho necessário nestes dias maus. Li que “testemunhar não é algo que fazemos; é algo que somos”. Ora, mas aquele que é testemunha, testemunha; aquele que tem fé, confessa, declara. “Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo (I Jo 4.2, 14). 

Finalmente, gostaria apenas de assinalar que o tempo verbal utilizado por João (Presente) neste versículo representa que os quatro aspectos supracitados envolvem progressividade, continuidade, proximidade e urgência na ação. Afinal, vivemos os últimos dias. Não deixe para amanhã; busque Jesus hoje. É urgente!

Rev. Ângelo Vieira da Silva 
Pastor da 1ª IPB de Resplendor

Compartilhar no Google Plus
    Blogger Comentario

0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa postagem aqui:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial