Blog de Ângelo Vieira da Silva, Marido da Keila, pai do Rafael. Cristão Calvinista, Pastor Presbiteriano. Pesquisador dedicado. Cruzeirense e Gamer de clássicos.

O DOM INEFÁVEL: II CORÍNTIOS 9.15


A grande pergunta é: QUAL É O DOM INEFÁVEL DE DEUS que Paulo trata em II Co 9.15? Volte alguns versículos em sua Bíblia e terás a resposta. Em II Co 8.9 o apóstolo pensa na liberalidade graciosa do Senhor para com os homens. Ele diz: “pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos.” Esta verdade, presente, este dom, realmente é inefável, é indizível.

Em resposta a generosidade de Deus a Igreja precisa ser semelhantemente generosa. É um desejo profundo de meu coração que a mesma disposição de Paulo quanto à igreja de Corinto esteja sobre nós quanto à assistência a favor dos santos, afinal, nas palavras do apóstolo dos gentios era desnecessário escrever acerca deste princípio aos coríntios, pois, praticavam tal liberalidade. Logo, Paulo reconhecia a presteza e zelo daqueles irmãos que estimulavam muitíssimos outros (II Co 9.1-3). Mas, e nós? [...]

Diante disto, recomendou aos irmãos de Corinto que preparassem de antemão uma dádiva já anunciada (como uma oferta do amor), como expressão de generosidade e não de avareza (v. 5). É o que deveríamos fazer sempre. Agora, nesta sucinta reflexão pergunto: por que é importante tal atitude no meio do corpo de Cristo?

1) PORQUE TRARÁ PROSPERIDADE SANTA: Hodiernamente se fala muito em prosperidade dos crentes. Ela existe, se contemplada dentro da esfera da vontade de Deus. Contudo, temos visto muitos exageros. Não creio que em uma prosperidade de teor triunfalista sobre toda a Igreja de Cristo, como se fosse esse seu "direito" adquirido. A prosperidade que Paulo fala é santa, pois vem da vontade de Deus para nós. Ele diz que aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará. A verdade? É Deus quem pode fazer-nos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundemos em toda boa obra. Pense um pouco... Como temos agido? Temos semeado muito ou pouco? Ora, Deus suprirá, aumentará e multiplicará a nossa sementeira, os frutos da nossa justiça, enriquecendo-nos, em tudo, para toda generosidade, a qual faz que, por nosso intermédio, sejam tributadas graças ao Senhor.

2) PORQUE DEUS AMA QUEM DÁ COM ALEGRIA: Devemos contribuir segundo tiver proposto em nosso coração. Mas, o que há dentro e proposto nele? Se for o mesmo sentimento de Cristo, não daremos com tristeza ou por necessidade, mas porque sabemos que Deus ama a quem dá com alegria.

3) PORQUE REDUNDA EM MUITAS GRAÇAS: Segundo o apóstolo Paulo o serviço da assistência social não só supre a necessidade dos santos, mas também redunda em muitas graças a Deus, pois as pessoas glorificam a Deus pela nossa obediência ao evangelho de Cristo e pela liberalidade com que contribuímos. Em outras palavras, doar é um ato de testemunho cristão.

Este é o dom inefável de Deus. Contribua com sua oferta de amor!

Rev. Ângelo Vieira da Silva

Compartilhar no Google Plus
    Blogger Comentario

0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa postagem aqui:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial