Blog de Ângelo Vieira da Silva, Marido da Keila, pai do Rafael. Cristão Calvinista, Pastor Presbiteriano. Pesquisador dedicado. Cruzeirense e Gamer de clássicos.

A BASE BÍBLICA DA ADORAÇÃO


Em artigos anteriores já  refletira sobre a adoração, principalmente quanto ao seu significado cristão. Porém, ainda que tenha verificado alguns textos bíblicos sobre o tema nesses escritos, não fiz um exame aprofundado sobre as suas bases. Entenda: por "base" me refiro aquilo que serve de fundamento, apoio ou sustentáculo. Se a Bíblia é a Palavra de Deus para os cristãos, consequentemente evidencia-se como seu "Manual de Adoração", ou seja, ensina os cristãos sobre como devem adorar, dando-lhes os principais fundamentos, apoios e/ou sustentáculos para a adoração como um estilo de vida. Eis o objetivo nessa breve reflexão.

Adorar é um verbo. Por isso, a adoração bíblica pode ser percebida sobre a perspectiva de quatro verbos gregos fundamentais. Nesse ínterim, adoração é:

1) ADORAÇÃO É RENDER-SE

A palavra grega é PROSKUNEO. Literalmente, significa "beijar e adorar", como atos simultâneos, estando intimamente ligado a idéia de "ajoelhar-se"; daí, "render-se". Essa palavra era usada para mostrar um reverente temor diante de um superior, ou homenagem diante de um rei, isto é, o reconhecimento de seu poder e soberania (Mc 15.19). Era a prática do escravo diante de seu Senhor. Era uma atitude de humildade diante da graça abundante de Cristo (Lc 5.8). Era um sinal de fé (Jo 9.38), sendo associada com a oração e ressaltando sinceridade e urgência (At 7.60; At 9.40). Portanto, precisamos concluir que a palavra PROSKUNEO basicamente nos levará a declarar: “reconheço a minha inferioridade e a sua superioridade; coloco-me a sua inteira disposição”. Caro leitor (a), você tem este sentimento em relação a adoração?

2) ADORAÇÃO É SERVIR

A palavra grega é LATREIA. Essa palavra é usada geralmente para o serviço a Deus, o culto. A característica do Antigo Testamento em relação ao termo sugere que a adoração verdadeira a Deus não é um ritual meticulosamente cumprido, mas sim a obediência à voz do Senhor que brota da gratidão pelos atos divinos de salvação na história (Dt 10.12-13). Todas as 21 vezes que o vocábulo aparece no Novo Testamento é no sentido religioso. Em Hebreus, por exemplo, LATREIA aparece se referindo ao templo, ao tabernáculo (Hb 8.5; Hb 9.9; Hb 10.2; Hb 13.10).  Portanto, precisamos concluir que a palavra LATREIA basicamente significa "serviço", "serviço de obediência". É justamente o que Paulo descreve (Rm 12.1). “A verdadeira adoração cristã nos conclama a declarar a superioridade absoluta de Deus”. Caro leitor (a), você tem este sentimento em relação a adoração?

3) ADORAÇÃO É REVERENCIAR

A palavra grega é SEBEIN, usada em ligação ao temor a Deus. Ter temor é, literalmente, ter medo e, por isso, reverência. Assim, reverência e temor andam juntas na adoração. O terror do Senhor impele o pecador a afastar-se, com temor não somente de sua Majestade, mas também pelo modo que se irá adorar a Deus. Adorar requer uma reverente preocupação com o que agrada ao Senhor (Jo 9.31). Conectadas com a raiz de SEBEIN, andam, lado a lado, as palavras injustiça (Rm 1.18) e piedade (II Tm 3.12). Portanto, não podemos violar os padrões colocados por Deus em sua Palavra quanto a adoração. Precisamos temer e reverenciar ao Rei. Uma adoração que reverencia ao Senhor é aquela que não é isolada de uma vida piedosa em Cristo, na prática de o seguir. Teme, você, debalde (em vão, inutilmente) a Deus? (Jó 1.19)

4) ADORAÇÃO É SERVIÇO SACERDOTAL

A palavra grega é LEITOURGEO. O Antigo Testamento usa freqüentemente esse termo para indicar o ministério sagrado dos sacerdotes. No sentido amplo, era o serviço para o povo, abrangendo todos os tipos de serviço à comunidade, obrigado ou voluntário, pagando-se com o próprio bolso. No Novo Testamento refere-se a formalidade litúrgica (At 13.2) como uma adoração comum, bem como o serviço sacerdotal (Rm 15.16) e assistência a outros (Fp 2.25, 30). Assim, o modelo litúrgico converge-se em Cristo (Hb 2.6), seja na invocação, confissão, louvor, edificação, dedicação ou benção.

Foi a partir da reforma que se solidificou uma das mais maravilhosas doutrinas da graça: o sacerdócio universal dos crentes. O que antigamente era realizado pelos levitas, agora pode ser manifestado pela Igreja, pelos lavados e remidos no sangue de Cristo. Logo, adorar é serviço sacerdotal. Portanto, liturgar é realizar um serviço para o povo de Deus por intermédio da oração, jejum e ensino. Os cristãos exercem sua liturgia sempre que servem a seus irmãos, motivados pelo amor ao Senhor Jesus. A lógica é simples: se nós servimos a Deus, servimos à Igreja de Deus. Se servimos aos irmãos em Cristo Jesus é porque antes já servimos a Deus de coração. Caro leitor (a), você tem este sentimento em relação a adoração?

Estas são algumas bases bíblicas da adoração.

PARA PENSAR: “O culto é a parcela do serviço total do povo de Deus, no qual o Senhor vem ao seu encontro, requer sua adoração, mostra-lhe o seu pecado, perdoa-lhe quando se arrepende, confia-lhe sua mensagem e espera a sua resposta em fé, gratidão, amor e obediência” (Messias Valverde).

Rev. Ângelo Vieira da Silva

Compartilhar no Google Plus
    Blogger Comentario

0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa postagem aqui:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial