Blog de Ângelo Vieira da Silva, Marido da Keila, pai do Rafael. Cristão Calvinista, Pastor Presbiteriano. Pesquisador dedicado. Cruzeirense e Gamer de clássicos.

O SIGNIFICADO BÍBLICO DO JEJUM


“O que temos de melhor é o que nos falta” (C. S. Lewis)

A leitura do primeiro capítulo do livro do profeta Joel conclama: “promulgai um santo jejum, convocai uma assembleia solene, congregai os anciãos, todos os moradores desta terra, para a Casa do Senhor, vosso Deus, e clamai ao Senhor” (Jl 1.14). A partir desse versículo, iniciei uma série de estudos sobre as noções bíblicas do jejum, direcionando os cristãos acerca desta prática bíblica. 

Tanto no texto hebraico (tsom) como no grego (nesteia) a palavra para “jejum” tem a ver com “abstinência de alimento”, aplicadas tanto em sentido religioso (At 27.9; Lv 16.29) como social, isto é, pobreza ou necessidade (Mc 8.1-3; Mt 15.32). Leia abaixo:

At 27.9 – “Depois de muito tempo, tendo-se tornado a navegação perigosa, e já passado o tempo do Dia do Jejum [Dia da Expiação], admoestava-os Paulo”.

Lv 16.29 – “Isso vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês, aos dez dias do mês, afligireis a vossa alma e nenhuma obra fareis, nem o natural nem o estrangeiro que peregrina entre vós”.

Mc 8.1-3 – “Naqueles dias, quando outra vez se reuniu grande multidão, e não tendo eles o que comer, chamou Jesus os discípulos e lhes disse: 2 Tenho compaixão desta gente, porque há três dias que permanecem comigo e não têm o que comer. 3 Se eu os despedir para suas casas, em jejum, desfalecerão pelo caminho; e alguns deles vieram de longe”.

Mt 15.32 – “E, chamando Jesus os seus discípulos, disse: Tenho compaixão desta gente, porque há três dias que permanece comigo e não tem o que comer; e não quero despedi-la em jejum, para que não desfaleça pelo caminho”.

Focando-se no aspecto religioso, o jejum envolverá privação, proporção, postura, período e propósito, os cinco “P’s” que elaborei para ensinar didaticamente sobre o jejum. Note:

Privação
abstinência de alimentos (textos supracitados)
Proporção
um jejum total ou parcial (Ex 34.28; Dn 10.2-3)
Postura
jejum convocado/voluntário (II Cr 20.3; Dn 9.3)
Período
o tempo determinado do jejum (Et 4.16)
Propósito
a causa específica do jejum (II Sm 12.16)

Portanto, o jejum bíblico será aquela abstinência de alimentos, total ou parcial, convocado ou voluntário, por um determinado período e propósito específico. Ore, medite e jejue. Que sua espiritualidade seja sincera, verdadeira e repleta da presença do Senhor, afinal, “quando o significado de Deus diminui, o jejum desaparece” (Edward Farrell).

Rev. Ângelo Vieira da Silva
Compartilhar no Google Plus
    Blogger Comentario

0 comentários:

Postar um comentário

Comente essa postagem aqui:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial