A NATUREZA DOS ANJOS



Estudar angelologia, ramo da teologia que estuda os seres angelicais, é um grande desafio. Ainda mais hoje, quando o ensino bíblico nos púlpitos é escasso e muitos cristãos podem ser facilmente iludidos por fundamentos teológicos dissimulados. Para evitar um desvio da verdade quanto ao tema, pretendo colaborar com a compreensão bíblica acerca da natureza dos seres angelicais em breves pastorais (link de todas as pastorais sobre angelologia).

Por “natureza” busca-se compreender a essência, o conjunto de características próprias dos anjos, isto é, o que os constitui em seu cerne, bojo, âmago. Dentro desse aspecto fundamental, a angelologia bíblica oferece fundamentos para crermos que os anjos são seres criados, espirituais, incorpóreos, poderosos, imortais, racionais e morais, sejam eles eleitos ou reprovados. Vejamos mais detalhes:

1.1. Os Anjos são Seres Criados. Os anjos não são deuses nem uma raça. São criaturas distintas, seres mais elevados que o homem, razão pela qual também não devem ser interpretados como seres humanos glorificados. Ora, o “exército do céu”, as “legiões celestes” foram criadas pelo Senhor (Sl 148.2, 5; Cl 1.16). Deus fez todas as coisas segundo seu propósito, “conforme o conselho da sua vontade” (Ef 1.11). Saiba mais aqui.

1.2. Os Anjos são Seres Espirituais e Incorpóreos. Extraordinariamente, algumas passagens bíblicas apresentam alguns anjos assumindo uma forma física (Gn 18.2, 8; Gn 19.1, 3; Hb 13.2). Ao que parece, esses acontecimentos se deram para uma melhor compreensão da revelação divina e convencimento da realidade da presença angelical. Entretanto, ordinariamente, a maioria dos textos bíblicos apresenta que os anjos não possuem estrutura física como os homens, pois são incorpóreos; são seres espirituais. Eis os argumentos principais: são chamados de espíritos, de forças espirituais, não têm carne nem ossos, não se casam, muitos cabem num espaço limitado e são invisíveis. Saiba mais aqui.

1.3. Os Anjos são Seres Poderosos e Imortais. Apesar de limitados, os seres angelicais possuem poder e, uma vez criados, viverão para sempre. Saiba mais aqui.

1.4. Os Anjos são Seres Racionais e Morais. Esse duplo aspecto fundamenta a vontade angelical, suas escolhas e decisões, seus propósitos e interesses, suas disposições e aspirações, seja para o bem ou para o mal (abordarei esse último aspecto adiante). Saiba mais aqui.

1.5. Os Anjos são Seres Eleitos ou Reprovados. O entendimento deste último aspecto da natureza angelical envolve o reconhecimento de um estado original beatífico desses seres que, testados, se constituem como eleitos ou reprovados. Como já referido, é aqui que se estabelece a dicotomia santos anjos e demônios, anjos do céu e caídos, espíritos ministradores e espíritos malignos, anjos bons e maus. É fato que: todos os anjos tiveram um estado original, os anjos que pecaram foram condenados e s anjos que não pecaram são chamados de eleitos. Saiba mais aqui.

De um jeito ou de outro, os anjos sempre estiveram ao nosso redor. Seja na história ou nas estórias, na Bíblia ou em outros escritos religiosos, em filmes ou séries de televisão, os anjos estão lá. Assim, em meio a esse vasto e observável universo angelical, oro para que a Igreja de Jesus veja os seres angelicais como eles realmente são: seres criados, espirituais, incorpóreos, racionais, morais, poderosos, imortais, sejam eles eleitos ou reprovados. Eis a base da natureza angelical.

Rev. Ângelo Vieira da Silva
--------------------------------------------------------------------------------------
Leia mais sobre angelologia bíblica clicando aqui. 

1 comentários:

Comente essa postagem aqui:
EmoticonEmoticon