OUVIU-SE UM CLAMOR NO RIO, PRANTO, CHORO E GRANDE LAMENTO

Na última quinta-feira (07/04) mais uma tragédia abalou a nação: um homem de vinte e três anos adentrou uma escola na zona oeste do Rio de Janeiro e disparou sua arma contra várias crianças e adolescentes da escola. Dentre os quatrocentos alunos, treze ficaram feridos e doze faleceram. 

Esse triste episódio trouxe-me a memória o texto bíblico de Mt 2.18: “Ouviu-se um clamor em Ramá, pranto, choro e grande lamento; era Raquel chorando por seus filhos e inconsolável porque não mais existem”. As palavras citadas vieram como o cumprimento da profecia do profeta Jeremias. Vendo-se iludido pelos magos, a Bíblia narra que Herodes enfureceu-se grandemente, decidindo mandar matar todos os meninos de Belém e de todos os seus arredores, de dois anos para baixo, com o intuito de aniquilar o recém-nascido Rei dos Judeus. 


Não há dúvidas que há grande clamor no Rio, pranto, choro e grande lamento. Muitas mães estão chorando por seus filhos, inconsoláveis, porque não mais existem. E por quê? Em virtude de um único homem sem a presença de Deus no seu coração. Tal meliante assassino estava transtornado e, conforme as palavras do próprio policial que o alvejou, determinado a continuar aquela chacina. 

Por mais terrificante que seja o acontecimento, é importante que ressaltemos que situações como essa são o cumprimento da profecia. Segundo o apóstolo Paulo os últimos dias são distinguidos por tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder (II Tm 3.1-5). 

Agora resta-nos orar. Peça a Deus que conforte as famílias afetadas, consolando-as na angústia. Interceda ao Senhor pela preservação, segurança de seu filho; pois, até mesmo um centro do saber conheceu nesta semana o pior sentido do pecado e da violência humanas.

Dentre as últimas informações destaca-se uma carta do tirano em que anunciava que cometeria o suicídio. Com referências a questões de natureza religiosa, pedia perdão a Deus. Ora, diante disto devo lembrar a Lei de Deus: “não matarás” (Ex 20.13). Deus irá julgar as obras ímpias dos homens, inclusive esta, “porque o juízo é sem misericórdia para com aquele que não usou de misericórdia. A misericórdia triunfa sobre o juízo” (Tg 2.13).

Rev. Ângelo Vieira da Silva

1 comentários:

Comente essa postagem aqui:
EmoticonEmoticon