A MISSÃO DIACONAL: SERVIÇO, MISERICÓRDIA E ESPIRITUALIDADE


O trimestre se inicia sobre um novo fundamento didático: Uma só Missão. A semana principia com a lembrança da Missão Diaconal. Afinal, se comemora nas Igrejas Presbiterianas do Brasil no dia dez de julho o Dia do Diácono. Em uma data tão especial me valho de nosso sub-tema para relembrar os aspectos essenciais da missão diaconal, um serviço exercido especialmente por um grupo de homens cheios do Espírito Santo e poder, é verdade, mas que intrisecamente também deve ser observado por cada cristão, conquanto servo, no trato de uns para os outros. Por isso, é indispensável relembrar que a palavra diácono (diakonia, gr.) pode ser traduzida por serviço, contribuição, missão. Até que todos cheguemos à unidade da fé, tanto oficiais, denominados Diáconos, quanto cristãos, que se seguem o modelo de seu Senhor, são chamados a cumprir a Missão Diaconal, envolta ao serviço, misericórdia e espiritualidade. 


1) A Missão Diaconal envolve Serviço

Traduz-se diakonia por serviço. Tanto o oficial como o cristão em particular devem servir. O Mestre esclarece tal realidade em Mt 20.26: “Não é assim entre vós; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva”. Infelizmente, o que é exigência e privilégio santos não são exercidos adequadamente. Humildade é fundamental no servo de Cristo. Os membros de uma igreja falham ao se considerarem maiores que os demais. Presbíteros erram ao pensarem que seus ofício é mais proeminente que o diaconal. Tantos os Apóstolos (ministério arraigado, principalmente, no dedicar-se à Palavra e à oração) quanto os Diáconos (cuidavam diretamente da distribuição diária) serviam de bom grado, sem ostentação. Eis um grande desafio. Até que todos cheguemos à unidade da fé devemos orar tanto pela Junta de Diáconos que se dedica, quanto pelo despertar de irmãos e irmãs, na árdua tarefa de na distribuição diária daqueles que não podem ser esquecidos (At 6.1-4). Homens e mulheres devem servir. Essa é sua Missão. Quanto aos oficiais, o verdadeiro diácono primeiramente não serve porque é diácono, mas é diácono justamente porque serve. 

2) A Missão Diaconal envolve Misericórdia

Diakonia pode ser traduzida como missão misericordiosa. Em nossos dias tal ministério é ofuscado pela ordem no templo, pelo copo de água no púlpito para o mensageiro, etc. Não que o Diácono não deva se preocupar, mas estas não são sua missão impostergável. Ser Diácono, ser cristão comprometido é ter uma missão misericordiosa, a obrigação de ajudar ao necessitado, ao pobre, à viúva, ao debilitado. É a Missão do Socorro, que pede socorro nas igrejas. O exercício da bondade é parte integrante do ministério da Igreja. Tanto Diáconos quanto Cristãos devem amar os que muitas vezes são odiados e socorrê-los. Quanto aos membros da igreja, se alguma viúva tem filhos ou netos, que estes aprendam primeiro a exercer piedade para com a própria casa e a recompensar a seus progenitores; pois isto é aceitável diante de Deus (I Tm 5.4). 

3) A Missão Diaconal envolve Espiritualidade

Distribuição ou contribuição são traduções de diakonia. A espiritualidade caminha ao lado do serviço e misericórdia. A vida espiritual no exercício da Missão Diaconal contribui para o crescimento do Reino de Deus mediante a distriuição de benevolência e boas obras, como uma boa reputação (At 6.3), por exemplo. A lista de qualificações para o oficialato, segundo registra o apóstolo Paulo em I Tm 3.8-10, carece também de ser prescrita para os cristãos num todo. Afinal de contas, todos devemos contribuir como pessoas respeitosas, de uma só palavra, não embriagadas e nem gananciosas, mantendo a consciência limpa. 

Parabéns, Junta Diaconal! Parabéns, Auxiliares de Diáconos! Parabéns, membros da Igreja que servem ao Senhor com alegria! 

Rev. Ângelo Vieira da Silva



Comente essa postagem aqui:
EmoticonEmoticon