O QUE É UMA REUNIÃO DE SÍNODO?

No próximo final de semana (05-06/07) nossa Igreja hospedará a 17ª Reunião Ordinária do Sínodo Minas-Espírito Santo (SME), que abarca os Presbitérios de Resplendor (PRSP), Vale do São Mateus (PVSM), Norte do Espírito Santo (PRNE) e Noroeste Capixaba (PNCA). Mas, você sabe o que isto significa? Por certo, é uma grande honra para nossa Igreja.

MÚSICAS QUE EDIFICAM 005-009 - SOBRE O BRASIL - PROTESTOS MUSICAIS


Já compartilhei com os leitores do Blog Regulae Fidei quatro canções que me edificam (Caminhos de SolEverything I DoNo dia em que eu saí de casa e Trabalhadores). Hoje, diante das muitas manifestações que ecoam pela Pátria, me lembrei de mais cinco canções preciosas sobre os problemas e o desejo de ver um Brasil feliz. Vale a pena parar e ouvir. São elas: "Pra Cima Brasil" (João Alexandre), "Brasil" (Fruto Sagrado), "Brasil" (Oficina G3) e "Brasil" (Resgate). Vou encerrar com um recado para a prezada "presidenta", relembrando a música "Forrock" (Fruto Sagrado). Curtam!

ANJOS: QUEM SÃO? PARA QUE EXISTEM?


Quem são os anjos? Deus criou duas classes de seres pessoais: uma é o gênero humano, a outra são os anjos. A palavra anjo vem do grego anguelós e significa mensageiro, aquele que é enviado. Na Bíblia, Miguel e Gabriel se destacam. O primeiro é, na verdade, chefe dos anjos, significado do termo arcanjo, que acompanha seu nome (Jd 1.9); O segundo é o anjo que assiste diante de Deus e que serve de elo das revelações divinas (Lc 1.19). Há, ainda, os serafins (que permanecem diante do trono servindo e cantando louvores a Deus) e os querubins (que guardam a entrada do paraíso) conforme os textos de Is 6.2, 6 e Gn 3.24. As Escrituras também descrevem os principados, potestades, tronos e domínios que não são diferentes tipos de anjos, mas diferentes classes angelicais. Contudo, não existem apenas estes anjos; eles são numerosos (lembre-se que as legiões romanas eram numericamente iguais, mas em diferentes ocasiões variavam entre 3000 a 6000 legionários) e poderosos (Mt 26.53, Ap 5.11).

Os anjos são agentes sobrenaturais (podem mover-se de um ponto para outro qualquer e até mesmo congregar-se em áreas diminutas no caso dos anjos caídos, Lc 8.30). Eles são seres morais (seguem um padrão de conduta), inteligentes (têm compreensão e percepção das realidades espirituais e humanas) e espirituais (ou seja, não possui corpo físico, embora possam se revelar na forma física humana – Gn 18.2-19.22, Jo 20.10-14, At 12.7-10). É correto afirmar que os anjos não se casam (Mt 22.30) e que não estão sujeitos à morte (Lc 20.35-36). Também é certo afirmar que, assim como Adão e Eva foram postos à prova no Éden, assim também os anjos o foram em algum tempo não revelado na Bíblia, subdividindo a classe angelical em anjos reprovados ou caídos e anjos aprovados ou eleitos. Mas qual será o plano de Deus para os anjos eleitos?

Para que ou por que os anjos existem? Os anjos estão no céu. Ali, em santidade e glória, trabalham e adoram ao Senhor, Rei dos reis e Senhor dos senhores (Mt 18.10, Mt 22.30, Ap 5.11, Sl 103.20-21, Sl 148.2). Mas os anjos foram criados apenas para trabalhar e adorar ao Senhor? A resposta é não. Os anjos possuem também o ministério de prestar serviço aos cristãos, à Igreja, por ordem do Senhor (Hb 1.14, I Co 10.11). Pensemos na divisão colocada no parágrafo anterior... Os anjos eleitos servem a Deus e à Igreja; os anjos reprovados ou caídos servem ao diabo para “destruir” à Igreja. Neste sentido, os anjos eleitos existem para guardar os crentes, tanto grandes como pequenos (Sl 34.7, I Pe 1.12, Mt 18.10) o que não implica na crença de que temos um anjo da guarda conforme a filosofia astral, mas sim que os anjos, e principalmente, o Anjo do Senhor, está pronto a nos socorrer sobre a ordem de Deus. Até mesmo na morte dos cristãos os anjos possuem atos de um belo ministério recebido por Deus (Lc 16.22).

Talvez você pergunte: quem é maior? Anjos ou homens, no tocante a instrução espiritual? Resposta: está implícito nas Escrituras que os anjos possuem uma maior instrução sobre as coisas espirituais do que os humanos. É por isso que não devemos subestimar o inimigo de nossas almas, o anjo caído, Satanás. Contudo sempre prevalecerá o ensinamento bíblico: da parte dos anjos, dos homens e de qualquer outra criatura, a Deus são devidos todo culto, serviço e obediência, que ele houve por bem requerer deles.

Não se esqueça: há uma distinção óbvia e profunda entre os anjos comuns e o chamado Anjo do Senhor ou Anjo da Aliança.

Rev. Ângelo Vieira da Silva

Leia mais sobre anjos aqui no Blog Regulae Fidei, clicando aqui.

HOMENS E MULHERES: UMA PARCERIA DE SUCESSO


A Primeira Igreja Presbiteriana de Resplendor hospeda desde sexta-feira o Congresso Unificado de Homens e Mulheres do Sínodo Minas-Espírito Santo. Para nós é um privilégio e dever santos servir na Seara do Senhor. Em um evento como esse, nada melhor do que pensarmos sobre a relação entre homens e mulheres, UPHs e SAFs, maridos e esposas, irmãos e irmãs em Cristo: de fato, uma parceria de sucesso espiritual.

O DOM INEFÁVEL EM 2 CORÍNTIOS 9.15


A grande pergunta é: qual é o dom inefável de Deus da qual Paulo trata em 2 Co 9.15? Voltemos alguns versículos desse contexto e busquemos a resposta. Ora, em 2 Co 8.9 o apóstolo pensa na liberalidade graciosa do Senhor para com os homens. Ele diz: “pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos”. Essa verdade, tal presente, esse dom, realmente é inefável, é indizível.

Em resposta a generosidade de Deus a Igreja precisa ser semelhantemente generosa. É um desejo profundo de meu coração que a mesma disposição reconhecida no apóstolo Paulo, quanto ao que ele experimentou junto à igreja de Corinto, esteja sobre nós também, esta maravilhosa assistência a favor dos santos, afinal, nas palavras do apóstolo dos gentios, era desnecessário escrever acerca deste princípio aos coríntios, pois praticavam tal liberalidade. Logo, Paulo reconhecia a presteza e zelo daqueles irmãos que estimulavam muitíssimos outros (2 Co 9.1-3). Mas, e nós? [...]

Diante disso, recomendou aos irmãos de Corinto que preparassem de antemão uma dádiva já anunciada (como uma oferta do amor), como expressão de generosidade e não de avareza (2 Co 9.5). É o que deveríamos fazer sempre! Agora, nesta sucinta reflexão, pergunto: por que é importante tal atitude no meio do corpo de Cristo?

(1) PORQUE TRARÁ PROSPERIDADE SANTA. Hodiernamente, se fala muito em prosperidade dos crentes. Ela existe, se contemplada dentro da esfera da vontade de Deus. Contudo, temos visto muitos exageros. Não creio que em uma prosperidade de teor triunfalista sobre toda a Igreja de Cristo, como se fosse esse seu "direito" adquirido. A prosperidade que Paulo fala é santa, pois vem da vontade de Deus para nós. O apóstolo diz que aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará. A verdade? É Deus quem pode fazer-nos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundemos em toda boa obra. Pense um pouco... Como temos agido? Temos semeado muito ou pouco? Ora, Deus suprirá, aumentará e multiplicará a nossa sementeira, os frutos da nossa justiça, enriquecendo-nos, em tudo, para toda generosidade, a qual faz que, por nosso intermédio, sejam tributadas graças ao Senhor.

(2) PORQUE DEUS AMA QUEM DÁ COM ALEGRIA. Devemos contribuir segundo tiver proposto em nosso coração. Mas, o que há dentro e proposto nele? Se for o mesmo sentimento de Cristo, não daremos com tristeza ou por necessidade, mas porque sabemos que Deus ama a quem dá com alegria.

(3) PORQUE REDUNDA EM MUITAS GRAÇAS. Segundo o apóstolo Paulo o serviço da assistência social não só supre a necessidade dos santos, mas também redunda em muitas graças a Deus, pois as pessoas glorificam a Deus pela nossa obediência ao evangelho de Cristo e pela liberalidade com que contribuímos. Em outras palavras, doar é um ato de testemunho cristão.

Esse é o dom inefável de Deus. Contribua com sua oferta de amor!

Rev. Ângelo Vieira da Silva

1º ENCONTRO DE PASTORES E ESPOSAS PRESBITERIANOS


Antes de contar como foi o primeiro encontro nacional de pastores e esposas presbiterianos, permitam-me subscrever as palavras do apóstolo Paulo em Fp 1.3: “Dou graças ao meu Deus por tudo que recordo de vós”. Sim, estou imensamente feliz por ser Pastor de um rebanho de VISÃO, que ORA e INVESTE no crescimento de seu Pastor e família. Dou graças a Deus pelas irmãs de nossa SAF local, que é parte fiel das quase 2.900 SAFs que oraram, falaram, convidaram, ajudaram, animaram e lutaram para que seus Pastores e esposas lá estivessem. Enfim, agradeço a todos que tornaram possível nossa participação neste evento valioso. Dou graças ao Senhor pelo nosso Conselho, sempre incentivador de seu Pastor.