FUMAR É PECADO?


O fumo é um dos produtos de consumo mais vendidos no mundo. Mesmo prejudicial à saúde, a lei atual permite que os fabricantes guardem a lista em segredo. Talvez, até setecentos aditivos químicos estejam entre os ingredientes utilizados na fabricação de cigarros. São citados como ingredientes metais pesados, pesticidas e inseticidas. Alguns são tão tóxicos que é ilegal despejá-los em aterros. Aquela atraente espiral de fumaça está repleta de quatro mil substâncias, entre as quais destacam-se a acetona, o arsênico, o butano, o monóxido de carbono e o cianido. O pulmão dos fumantes e, consequentemente dos fumantes passivos (aqueles que ficam expostos à fumaça), recebe ao menos quarenta e três substâncias comprovadamente cancerígenas. Por isso, uma simples pesquisa pela internet demonstrará que 87% dos fumantes têm câncer de pulmão e 70% correm risco de apresentar doenças cardíacas.

Infelizmente, o fumo é um problema de todos. Ora, se há uma necessidade de reflexão entre cristãos que podem estar em dúvida, será a Bíblia a norteadora do assunto, mesmo que esta não trate especificamente do tema. Veja, é muito comum a liderança ser questionada acerca do cigarro em termos de transgressão espiritual, isto é, "é pecado fumar?". Creio que a resposta para tal pergunta dever ser fundamentada sobre dois princípios essenciais: o princípio do vício e o princípio da glória de Deus. Entenda:

1. O princípio do vício. Notadamente, o texto de 1 Co 6.12 é muito utilizado em situações nas quais, aparentemente, não se tem uma resposta mais específica das Escrituras. Pois bem, o texto diz: "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas". Ora, se todas as coisas me são lícitas e nem todas me convém, preciso enfatizar e interpretar o sentido da continuidade do texto: “eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”. Destaco o termo "dominar" (éxousiazô), pois seu sentido é "não deixarei meu corpo ser escravizado por sua própria vontade". Vejo tal escravização como sinônima de vício. Vejo o fumante como alguém viciado. Não existe fumante social nem cigarro sem substâncias que viciam. Cientificamente, é comprovada a necessidade do corpo do fumante em manter e/ou aumentar os níveis das substâncias tóxicas do cigarro. Então, a orientação bíblica é que não deixemos tal desejo ocorrer. Ora, se o cigarro escraviza associa-se ao mesmo resultado do pecado. Jesus veio para verdadeiramente nos libertar.

2. O princípio da glória divina. Um outro texto bíblico é citação clássica na discussão acerca de vícios: "Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo" (1 Co 6.19-20). Que fumar é prejudicial à saúde física não se discute, mas também seria à vida espiritual? Se o homem natural que fuma não tem essa preocupação, o cristão a tem, pois é santuário do Espírito Santo de Deus. O discípulo quer agradar ao seu Mestre, inclusive com seu corpo. Portanto, o cristão em dúvida deve se perguntar: é possível glorificar a Deus no meu corpo estando eu fumando? A resposta vem adiante: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus (1 Co 10.31). Assim, se sua reflexão pessoal resultar no entendimento de que é impossível agradar a Deus fumando, abandone tal prática.

Eu sei. Infelizmente, há muitos cristãos de renome que fumam. Não use da liberdade deles para fundamentar uma possível libertinagem. Dirija-se pela sua consciência cativa à Escritura. Pessoalmente, além de péssimo hábito social, compreendo que fumar se constitui um pecado que precisa ser abandonado, principalmente pelos cristãos. Se é possível tirar algum proveito do fumo, será mínimo diante dos inúmeros problemas que surgirão ao longo do tempo. Veja, não creio que se possa perder a salvação por causa do cigarro, afinal, “fumar não é menos perdoável do que qualquer outro pecado”. Apenas vejo ser uma mazela que deva ser abandonada em tempo. Será melhor para todos. Desse modo, com a ajuda do Santo Espírito de Deus que em nós habita, é possível confessar e abandonar qualquer prática pecaminosa que nos destrua ou escandalize o próximo. Não ao vício e sim para a glória de Deus.

Rev. Ângelo Vieira da Silva

17 comentários

Comente essa postagem aqui:
EmoticonEmoticon